x

Nightlife: a vida noturna em Paris Clubs mais bacanas da região

- interior do Le Castle -

Saturday Night Dance

Noite é um pouco puxado para quem trabalha e tem duas filhas como eu, então muitas vezes eu pulo a vida noturna em Paris, mas fico sabendo de tudo pois quem tem amigos nunca está perdido e são anos de noite. Eu não sou mais tão habituê, mas tento ir pelo menos uma vez em cada lugar da moda só para ver como é e depois contar para vocês, claro. O Club Silêncio, aquele do David Lynch, continua sendo o point, além do Castel, legendário club dos anos 70 que foi reformulado com decoração assinada pelo grafiteiro André (aliás, quem quer uma repaginada cool por aqui trabalha com ele, tá?) e o L’Arc, que reabriu temporada passada e tem o Lenny Kravitz como um dos sócios. O L’Arc é o mais fácil de entrar sem conhecer ninguém.

Montana também reabriu, agora tem restaurante no segundo andar, hotel boutique para os íntimos e as paredes decoradas pelo artista Vincent Darré, que eu sou fã. Eu gosto do Yoyo, que tem um clima de Berlim, mas não dá pra ver ninguém de tão escuro que é o lugar, e os parisienses de raiz sempre terminam no Le Baron, apesar de falarem mal, mas isso já é típico deles…

- O bar do Les Bains -

Nessa temporada, o lugar que mais bomba pelos fashionistas está sendo o Les Bains, antigo club dos anos 80 que tem uma piscina como parte da decoração. O Le Bains também é um hotel e tem um bar maravilhoso. Para os mais comportados e em busca de azaração hetero, eu recomendo o Rasputine, o Matignon e a pistinha do bar Trés Honoré, para ver muita gente bonita. Gostaram? Então se joguem e depois me contem nos comentários.

Esses nem são todos os clubs bacanas da cidade, mas, para um primeiro post, já dá para começar a brincar. Bisous!

--

Paula Rita Saady é a dona do blog Paris, Me Chama!

 

OPS!

Estamos com algum problema de conexão!

Por favor, atualize a página ou tente novamente mais tarde.