x

É preciso discutir a relação? Uma nova maneira de olhar para as DR's

O tema “DR” (discutir a relação) poderia ser mais explorado em filmes de terror, uma vez que tanta gente se arrepia só de ouvir essa pronúncia dessas duas letras.

É que muitas pessoas veem uma DR como uma grande discussão, temperada com gritos, pancadaria, tiro, porrada, bomba, vasos de cristal sendo atirados contra as paredes e mais um pouco de agressividade.

DR’s não precisam ser assim.

Na minha cabeça, discutir a relação sempre se resumiu a apenas uma conversa sincera sobre o andamento das coisas e pontos dos dois lados a serem observados e melhorados. Isso porque eu prezo a honestidade em uma relação - e por isso acabo acreditando que as pessoas que me relaciono também pensam ou deveriam pensar dessa forma.

Novidade: as pessoas não pensam como eu.

A maioria dos homens acha que discutir a relação é besteira. E isso não é descaso da parte deles: é comprovado cientificamente que do ponto de vista masculino, a DR é apenas uma carga de stress que não vai levar a lugar nenhum.

E será que eles não estão certos?

Não me lembro de alguma vez que tive uma DR que “resolveu” a minha vida. Enquanto escrevi esse texto, parei um segundo para lembrar das últimas DR’s que tive com meu parceiro. Em nenhuma delas rolou tiroteio, eu só apontei algumas falhas nele (que não tem previsão de mudança), ele ficou confuso sem entender sobre o que eu estava falando, e foi um pouco estressante para nós dois.

Sei que na hora que bate aquela ansiedade misturada com TPM, parece que “tá tudo errado com esse relacionamento”, “ele não me ama”, “a gente precisa resolver isso”, “a gente precisa conversar”, mas será que o que falta não é a gente parar, respirar e observar um pouco as coisas e o nosso parceiro como eles realmente são?

Tentar olhar pros defeitos dele (aponte agora 5 defeitos dele) e pros nossos (tente com muita força de vontade apontar 5 defeitos seus), e tentar respeitar essas diferenças de tempo x espaço sem criar um conflito? De novo: não só porque é estressante, mas porque dificilmente leva mesmo a algum lugar.

Falando assim parece simples e até meio poético, né? Vou passar algumas semanas seguindo essa nova filosofia de vida e se eu sair viva disso tudo volto aqui pra contar as novidades.

 

E você concorda? Acha que a DR ajuda ou só desgasta a relação?

 

 


JULIANA BATAH

Oi, eu sou a Ju Batah! Tenho 25 anos e sou designer, ilustradora, webwriter e criadora do blog Vamos pra Vênus. Adoro falar sobre cotidiano e relacionamentos, e concluí que ninguém vive sem amor: principalmente o amor próprio!

 

Artigos Relacionados:

Uma experiência única que você nunca irá esquecer

Cumprindo metas e (não) comemorando vitórias.

Os melhores momentos do nosso ator favorito

OPS!

Estamos com algum problema de conexão!

Por favor, atualize a página ou tente novamente mais tarde.